Você sabia que ao ensinar a autorregulação da aprendizagem os pais podem contribuir para o desenvolvimento cognitivo de seu filho?

Como os Pais Podem Incentivar a Autorregulação da Aprendizagem

Categoria: Artigos

Você já deve saber que a relação entre pais e filhos tem grande influência em diversas esferas do desenvolvimento infantil, certo? Por essa razão, é importante que os pais, ao lidar com as crianças, o façam visando otimizar determinadas habilidades e comportamentos. Dentre um dos bons hábitos, está o uso da autorregulação da aprendizagem.

Para saber do que se trata esse termo e como isso pode beneficiar a autoestima, o sucesso escolar e desenvolvimento cognitivo da criança, confira o artigo e veja dicas para colocar em prática!

Afinal, o que é autorregulação na aprendizagem?

A autorregulação da aprendizagem é o processo em que a própria criança organiza, monitora e analisa seu aprendizado.

Para que seja um processo eficiente, o estudante precisa ter controle sobre seus pensamentos, motivações e comportamentos. Também é necessário compreender os sentimentos e emoções que se manifestam antes, durante e após a realização de uma atividade.

Ou seja, seu filho será responsável por controlar suas motivações para estudar, determinar estratégias para melhorar o aprendizado e identificar se está ou não conseguindo absorver o conteúdo.

Nesse momento, em que os pais precisam apoiar a educação na pandemia do novo coronavírus, a autorregulação se torna ainda mais importante.

Essa prática traz diversos benefícios às crianças, como:

  • melhor retenção do conteúdo;
  • maior envolvimento e motivação com os estudos;
  • melhoria na alfabetização, no vocabulário e em habilidades matemáticas;
  • contribuição para o desenvolvimento social;
  • melhor desempenho acadêmico;
  • maior autocontrole.

Dicas para praticar a autorregulação

Vale destacar que a autorregulação na aprendizagem não é uma habilidade, mas um processo que pode ser desenvolvido. Por essa razão, é importante que os pais incentivem essa prática desde os primeiros anos de vida.
Para melhores resultados, também é interessante trabalhar para educar crianças autossuficientes.

O primeiro passo é ajudar seus filhos a identificar suas emoções ao nomeá-las. Assim, os pequenos começam a aprender a lidar com o que sentem para conseguir resolver seus problemas relacionados ao processo de aprendizado.

Por exemplo, se ele ficar bravo ao não conseguir fazer determinada lição, ensine-o, desde pequeno, que aquilo que está sentindo naquele momento se chama raiva. Em seguida, explique que tudo bem ter dificuldades, mas que o importante é persistir.

Quando ele souber identificar suas emoções, vale propor um exercício com cores. Diga para ele determinar como está se sentindo ao realizar alguma atividade ou sobre alguma disciplina:

  • vermelho: não está conseguindo desenvolver bem seu aprendizado. Então é preciso criar novas estratégias para aprender ou ir com mais calma;
  • amarelo: está começando a perder o controle. Portanto, é importante ficar atento ou apoiar o ensino com jogos e brincadeiras, por exemplo;
  • verde: pode continuar no ritmo de aprendizado que está.

Além de ajudar a criança a identificar seu ritmo de aprendizado e a compreender se está conseguindo ou não aproveitar o conteúdo, vale ainda incentivar que a criança se torne mais independente e segura de si. Para isso, você pode:

  • incentivá-la a tomar suas próprias decisões;
  • deixá-la programar os horários de estudos e as disciplinas que irá estudar;
  • interferir em suas decisões apenas quando é necessário;
  • ensiná-la a assumir responsabilidades;
  • ajudá-la a desenvolver paciência e capacidade de lidar com os obstáculos do dia a dia;
  • ensiná-la a entender suas emoções e controlá-las com inteligência emocional.

Gostou de descobrir como incentivar a autorregulação da aprendizagem? O Colégio Koelle pode ajudar nesse processo. Acesse nosso site para conhecer nossos diferenciais no processo de ensino.

Agende uma visita